quinta-feira, 3 de outubro de 2013

ABSURDO: GOVERNADOR DO PARANÁ DIZ QUE POLICIAIS QUE ESTUDAM TENDEM A SER MAIS INSUBORDINADOS

O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), relacionou a exigência de ensino superior para ingresso na Polícia Militar a um possível aumento na insubordinação entre os soldados. “Outra questão é de insubordinação, uma pessoa com curso superior muitas vezes não aceita cumprir ordens de um oficial ou um superior, uma patente maior”, disse Richa no último dia 26 de Setembro em entrevista à rádio CBN Curitiba.
Richa fez o comentário ao rejeitar a idéia de adotar a exigência o curso de Direito para os novos oficiais da PM, uma reivindicação de entidades que defendem os policiais. A fala de Richa gerou críticas em redes sociais e foi considerada “desastrosa” pelo coronel Elizeu Furquim, presidente da Associação de Defesa dos Direitos dos Policiais Militares (Amai), principal entidade do setor.
“O governador passou a mensagem de que cultura e escolaridade premiam desobediência e desordem”, disse Furquim ao UOL, nesta sexta (27). “Ele ainda é jovem (Richa tem 46 anos), mas está contra a modernidade, propôs um retrocesso. Gostaríamos que ele repensasse sua afirmação.”
Para Furquim, a exigência de curso de Direito poderia reduzir os gastos do Estado com a formação dos oficiais da PM. “Hoje, essa formação dura três anos, em regime de semi-internato, pago com recursos públicos, sendo que boa parte do curso é de conteúdo jurídico. Com a exigência do curso superior, o governo poderia reduzir esse prazo em um ano.”
Fonte: UOL
Nota: Com tal declaração percebemos que o governante em questão está preocupado tão somente em ter um força policial bitolada e que atenda unicamente aos interesses do executivo, sem atentar para a importância da qualificação do servidor e numa melhor prestação de serviço junto à sociedade.




1 comentários:

Espedito Júnior disse...

O maior absurdo, é ele, um Governador de Estado não saber que hierarquia e subordinação são princípios da Administração Pública, e não só nas PM´s como em qualquer outro órgão da Administração de qualquer Poder Constituído, seja ela militarizada ou civil, independente de formação escolar. A questão de se exigir uma formação superior para ingresso em cargos públicos não quer dizer que será motivo para insubordinação, mas sim, são quesitos de adequação do direito aos anseios sociais, principalmente quando se trata de prestação do serviço público, haja visto, ser obrigação do Estado prestar serviço público com qualidade, excelência e eficiência. E uma das formas para que tais objetivos sejam alcançados é através da formação dos seus agentes públicos. Portanto, absurda e desastrosa um pensamento de um Gestor Público, que para mim considero um DITADOR. E gestor ditador tem que ser defenestrado do seu cargo.

Espedito Vitor de Oliveira Júnior.

Postar um comentário